Buscar
  • Pascoal Maynard

Extraído do livro "Coiote Sutil" de Cleomar Brandi.


Tempo de luta


Não quero refazer o mundo

nem o tempo amargo das nossas vidas.


Quero apenas cristalizar

ao toque dos meus dedos

antigos carinhos guardados e amigos.


Quero lembrar a todos

que o estigma do mal

do nosso século

fez moradia na consciência dos homens

e instalou-se pelo direito

de usucapião nas

anestesiadas mentes.


Que fazer do oceano de inércia

que se fez verde pardacento

aos meus pés?

No brilho dos meus olhos,

vejo, antevejo mares

onde vicejam

insetos de formas incertas,

saídos de úteros arrebentados

ao clarear do sol

da primeira manhã surgida.

Que me importa se angustiadas botas

pisam minhas mãos?


Da palma da minha carne,

da textura do meu tecido,

do fio aberto dos meus olhos,

surgem,

estalam limites guardados

da consciência do mundo

que se postam (paramentados guerreiros)

na guardada certeza

do primeiro brilho da manhã de sol

construída como se borda um estandarte

num tempo de luta.


Cleomar Brandi

49 visualizações
  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W

© 2018 Por EliasExpress.

Pascoal Maynard - Jornalista