DEU BODE !!!

Bucéfalo foi o cavalo mais famoso da história. Era amado por Alexandre Magno, rei da Macedônia, que o montava em memoráveis batalhas. Atribui-se inclusive a sintonia e amor entre os dois ao sucesso das grandes conquistas de Alexandre.

Diz a lenda que a Loba Capitolina amamentou os gêmeos Rômulo e Rêmulo, permitindo que eles sobrevivessem. Rômulo fundou Roma e foi seu primeiro rei.

Na época da corrida espacial, a cachorrinha Laika foi o primeiro ser vivo a ultrapassar a estratosfera a bordo de um foguete e morreu pelas condições ainda incipientes dos voos espaciais. Os russos ergueram uma estátua para prestar-lhe homenagem.

A vida humana é, portanto, integrada também com os animais.

Bode Bito foi um belo animal que compôs a cena da minha cidade por muitos anos. Era um bode esperto e diferenciado. Acompanhava enterros, ia à missa, vivia perambulando pelas ruas quando é mais comum aos cães vira-latas. Ficou famoso para além das terras do Riachão do Dantas, uma cidade-paisagem, das mais belas desses rincões.

Bito era querido pela população e era orgulho nosso. Não foram poucas as vezes em que, país afora, eu dizia que era natural do Riachão do e o interlocutor logo dizia: "a terra do bode?"

Caprino singular, Bito tinha uma inteligência (sim, animais possuem inteligência) e sociabilidade incomuns para bodes. Famoso no país inteiro, elevou também o nome da nossa Riachão, divulgando-a. Sua estátua na entrada era o símbolo do amor de humanos por animais.

A insensatez do atual prefeito, que tem tantas outras coisas para se preocupar, levou-o a tirar a estátua do querido mascote de uma das entradas da cidade. Veio a reação.

Fez muito bem o Ministério Público, assim como a Juíza, que acatou o pedido e mandou devolver a estátua de Bito para onde nunca devia ter sido tirada.

Recentemente o país inteiro reagiu ao espancamento, seguido de morte, de um cãozinho, por um vigilante do Carrefour.

Ou aprendemos de uma vez por todas que animais merecem respeito e compõem também a nossa vida, ou sempre vai “dar bode”!

Viva Bito! Viva Riachão e seu povo, que demonstrou que humanos também amam e devem respeito aos animais, inclusive podem perpetuá-los na memória da comunidade. Por que não?

Mexeu no bichinho, “deu bode”!

 

Luiz Eduardo Oliva

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W

© 2018 Por EliasExpress.